EM TUDO SOMOS IGUAIS
Wilson de Oliveira Carvalho
 
De noite ou de dia,
sem ou com estrelas e sol,
na primavera ou em outras estações
nos pertencemos, nos amamos.
 
Na imensidão do salão das meninas
 dos olhos de cada um, vivemos
  dançando  sob o ritmo
da canção de nossos corações.
 
Nos entendemos, até sem
palavras nós conversamos, e
quando distantes é o dialeto
 da telepatia que nós nos expressamos.
 
Nosso pendor em tudo se
associa, tudo nos dá
prazer, vivemos na alegria
nossas vidas se abraça na poesia.
 
Até em nossos devaneios
fazemos questão de contracenar
juntos, mas o que é mais importante
é que de fato nos amamos!