MAL POSSO ESPERAR
 
Wilson de Oliveira Carvalho
 
 
 
 
Finalmente consegui emergir o afeto
que sentia adormecido, que se encontrava
além das aparências, em um lugar
que apenas eu conhecia...
 
Depois que me elevei como se saísse 
das ondas, voltei a respirar novamente
como passei a alimentar minhas
esperanças naquilo que sempre acreditei...
 
Não será agora que o tempo se
encarregou de enfeitar nossos cabelos
com flocos de neve, que impedirá de matar
a vontade que tenho em abraçá-la desde
minha adolescência.
 
Os dias serão poucos, mas repletos de
felicidade, não serão suficientes
para narrarmos o infinito tempo
de uma extensão imensa responsável
direto pela nossa ausência.
 
Mal posso esperar por esse encontro,
ele foi retardado não sei por quem
possivelmente, pela sucessão de fatos que
constituíram pouco a pouco minha única
forma de cogitar você...