ALMA  SANGRADA
Ervin Figueiredo
 

O dia era frio, como dia triste,
Desses em que nada sai bem,
Como lágrima que sempre insiste
E cai quando o sorriso vem...
 
Uma saudade força o coração,
E minha voz é quase embargada...
Sua presença é como a ilusão,
Acontece sempre na madrugada...
 
Saudade é veneno que se bebe lento,
Mata devagar no passar do tempo,
Faz sangrar sentimento verdadeiro,
 
Como guitarra em que se toca o fado
E rasga o peito sem nenhum cuidado
Ainda fere a alma de seu hospedeiro.
 
 
 
***********
 
ARTE E FORMATAÇÃO SUELYDAM